Dicas para correr um triatlo e superar sua marca | Esporte

Por mais que você treina e muita fibra de carbono que você compra, há um adversário que nunca poderá vencer: as leis da física. Mas você pode manipulá-las a seu favor. O engenheiro aeroespacial Jim Gourley competiu em vários Ironman, com o lançamento de satélites ao espaço e até mesmo conseguiu-se que os adolescentes entendam a matemática.

As teorias que explica o ajudarão a tomar decisões com fundamento na hora de treinar, competir e até mesmo comprar material. Porque, se a inteligência se torna melhor triatleta, você vai se tornar o Albert Einstein deste exigente esporte.

01. Natação

Segue a estela: seu tempo melhora o cara que você tem na frente. Fique perto dele, e um metro para o lado, de modo que a sua mão, entre na água, em linha com o ombro. Reduzirá o atrito em 20%, a poupança de energia muito valiosa, com o que vai chegar antes, e mais fresco.

Baixa o ritmo do crol: não te entusiasmes e contén as tuas forças. A competição de natação não dura o suficiente para que adquira uma grande vantagem, mas sim como para agotarte face ao resto da carreira.

8mm: separação ideal entre as pontas dos dedos. Aumenta o coeficiente de atrito da mão em 9%, com o que também irá transferir mais energia ao movimento de impulso.

A equação: 90% braços + 10% pernas = propulsão. Os músculos das pernas só fornecem uma décima parte do impulso. Quando se desalinean com o resto do corpo, o atrito aumenta. Chuta o necessário para manter o corpo reto.

02. Bicicleta

A potência é dinheiro: não existem as bicicletas rápidas: apenas há ciclistas rápidos. Se você tem isso claro, um medidor de potência é o suplemento mais valioso que se pode comprar; ajuda a manter o ritmo, a manter um esforço constante e a evitar que se foram assimilados.

Você tem a partir de medidores profissionais que se instalam os pedais e são muito precisos (ainda identificam-se os desequilíbrios entre as pernas), pode até fazê-lo como um iniciante calculando o seu desempenho utilizando dados do GPS do seu smartphone (mas só depois da corrida).

Veja o dorsal, é a chave: o dorsal que se identifica com um número pode contrariar as vantagens aerodinâmicas do melhor atleta, se você o deixa passar o vento. Certifique-se de fixá-lo bem.

03. Carreira

Passos mais curtos, melhores resultados: aumentar o comprimento da passada não cobre mais terreno. Ao abrir as pernas, gaste mais energia cada vez que aceleras e deceleras. As passadas curtas poupar energia sempre que não potes demais.

Conforto: é o fator crucial na hora de escolher sapatos: 99% são feitas do mesmo material, e até mesmo uma diferença de 50g de peso pode ter um impacto mínimo. Altere-as a cada 400km mais ou menos.

180 é o número: o número de passos que você deve dar por minuto para reduzir o contato com o solo e gastar menos energia.

Pisa com cuidado: não há vento ou superfície de alto desempenho que se facilite tanto as passadas como a fita do ginásio, mas isso fará com que a corrida logo te pareça mais dura. Aumenta a inclinação alguns graus para compensar. (Correlação Superfície-Energia: Calçada — / Areia + 63% / Grama +4.8% / Fita -11%.)

04. Competição

Esqueça-se do branco: Essa cor reflete os raios do sol. Mas também afeta a sua energia, ao refletir os raios infravermelhos que cortês amizade que ficou e devolvértelos. Vestir-se de preto é legal e é mais fresco.

Guia rápido para decidir o seu ritmo:
Natação
Sprint: trabalha a um 80-85% do seu esforço máximo, aproveitando a estela do tipo de frente.
Carreira: 80-85% máximo, o cone de ar do que lhe antecede.

Bicicleta
Sprint: tira tudo o que você tiver. Ao fim e ao cabo, é um sprint!
Olímpico: cadência moderada, ligeiramente abaixo do limiar de lactato.

Running
Sprint: começa rígido; resiste; que se esforcem os outros.
Olímpico: o primeiro km em 5% abaixo do seu ritmo; acelera ao final.

A equação:152.1 + 1.332 x (tempo maratona) + 1.964 x (tempo olímpico) = tempo ironman. Use esta fórmula para calcular o seu tempo final e estabeleça o ritmo que levar durante os 226 quilômetros. Os tempos, em minutos, e que os números correspondem a cursos que você fez o mesmo ano em que pensas correr o Ironman. Lembre-se: a ciência está do seu lado.