Dicas para uma dieta eficaz… a prova de sabotagem | Nutrição

Pode ser que não os vê, mas eles estão lá. Escondidos entre as gavetas de sua geladeira, agachados entre o frasco de grão-de-bico e as latas de atum ao natural. Ninguém foi convidado, mas soube se esconder em sua vida.

E vieram dispostos a deitar por terra os seus planos de acabar, de uma vez por todas, com essa barriga. Suas melhores armas são seus pontos fracos. Com elas disparar à queima-roupa em qualquer momento para causar vários danos… a menos que você saiba como protegê-lo contra eles.

São os sabotadores da dieta. Alimentos e hábitos que têm a capacidade de fazer fracassar sua tentativa de perder os quilos que lhe sobram. Alguns até passam por aliados, em um primeiro momento, para divulgar mais adiante a sua face mais perversa. Mas calma: há solução. Basta saber reconhecê-los para criar seu particular colete à prova de balas.

Ataque 1/ Passar fome

Muitos homens pensam que para perder peso é necessário passar fome. Daí a popularidade dos jejuns, que, a longo prazo, na verdade, aumentam a capacidade de armazenamento do organismo. “A fome leva a momentos de fraqueza, onde você será muito difícil escolher bem e acabar comendo de qualquer maneira“, explica Anabel Fernández, nossa nutricionista e nutricionista. Qual a solução? Reparte as suas refeições ao longo do dia, de maneira que nunca chegar à próxima refeição com mais fome.

Ataque 2/ Comer fora de casa

Nada menos que 72% dos trabalhadores espanhóis come fora de casa, segundo o barómetro FOOD (Fighting Obesity through Offer and Demand). Os produtos mais consumidos são os elaborados com pão branco, seguidos de batatas, bolos, presunto e enchidos. Nenhum deles vai ajudar você a perder peso. O que fazer? Pois puxar “lanchinho”. É a maneira mais segura de não cair nas tentações. Se você não pode levá-la, opte por salada de primeiro e peixes ou carnes brancas grelhadas de segundo. E não faças perecer por causa da sobremesa!

Ataque 3/ Ser demasiado rigoroso

“Muitos têm divididos mentalmente os alimentos entre o sim e o não”, garante Fabiano Fernandez. “Isso gera uma grande sensação de culpa quando comem algum alimento proibido. Quando isso acontece, pensam que tudo já está perdido e é então que sua dieta se torna um desastre, até que conseguem voltar à calma”. Se algo que você gosta muito, coma moderadamente e com gosto. Se você fizer isso com sentimento de culpa, você vai fazê-lo rápido e acabar precisando de mais quantidade para saciar o desejo.

Ataque 4/ As calorias líquidas

Pode ser que você pares a contar as calorias de tudo o que você come. Mas, o que é que bebes? “O certo é que uma taça de vinho ou uma cerveja têm entre 100-150cal, uma lata de refrigerante lhe fornece cerca de 3,5 colheres de sopa de açúcar e um copo de suco de brick pode ter as mesmas calorias de três laranjas, mas sem o aporte de fibras”, diz Fernández. Põe-lhe o remédio, fazendo da água a sua bebida de referência. Será muito soda? Pois começa com as infusões ou diluído nela algumas gotas de limão.

Dicas para se destacar em seu trabalho… ou encontrá-lo | Estratégia

Conquista o peixe gordo

Para cativar o seu chefe, a tática é a mesma que para conquistar uma garota: trata-se de descobrir o que é que lhe coloca. Sua missão: não ser apenas um empregado mais. Mas ándate com muito olho. “É recomendável desenvolver uma relação próxima e amigável com o seu superior”, constata Maria Pérez Graça, responsável pela área de seleção de ICSA Recursos Humanos. “Embora às vezes pode ser a aproximação mais como um desejo de promover um interesse real na pessoa”, avisa, com conhecimento de causa, a especialista.

O que fazer

“A não ser que exista um verdadeiro vínculo pessoal, o mais aconselhável é a prudência”, confirma Pérez Graça. Conversa com o seu chefe na hora do almoço ou durante as pausas e cultiva algum interesse comum por algo que não tenha a ver com o trabalho (nem mesmo com a roubar dinheiro da empresa…). Então creáte um alerta no Google (www.google.es/alerts) sobre esse tema, e assim, para ele, você se tornará uma fonte de informação de confiança sobre essa questão.

Conquista o peixe gordo

Para cativar o seu chefe, a tática é a mesma que para conquistar uma garota: trata-se de descobrir o que é que lhe coloca. Sua missão: não ser apenas um empregado mais. Mas ándate com muito olho. “É recomendável desenvolver uma relação próxima e amigável com o seu superior”, constata Maria Pérez Graça, responsável pela área de seleção de ICSA Recursos Humanos. “Embora às vezes pode ser a aproximação mais como um desejo de promover um interesse real na pessoa”, avisa, com conhecimento de causa, a especialista.

O que fazer

“A não ser que exista um verdadeiro vínculo pessoal, o mais aconselhável é a prudência”, confirma Pérez Graça. Conversa com o seu chefe na hora do almoço ou durante as pausas e cultiva algum interesse comum por algo que não tenha a ver com o trabalho (nem mesmo com a roubar dinheiro da empresa…). Então creáte um alerta no Google (www.google.es/alerts) sobre esse tema, e assim, para ele, você se tornará uma fonte de informação de confiança sobre essa questão.

Controle as suas emoções

Um monte de demissões decididas de acordo com a percepção que têm os chefes de suas relações e de como encaixa na organização. Se você é daqueles que sempre carregam o contrário ou se mostram descontentes, não consideram que contribuiu para o grupo, embora o faça. E se você tem um equipamento a seu cargo, que você controla mais ainda. “Você tem que oferecer segurança. Dissipar qualquer medo entre os funcionários”, afirma a diretora corporativa de recursos humanos da Meta4, Maria José Frade. “As pessoas, ao sentir que tem um emprego seguro, irá trabalhar melhor e mais concentrada”.

O que fazer

“Hoje, muitos funcionários sentem uma certa sensação de insegurança, nervosismo e até mesmo o estresse diante da possibilidade de perder seu posto“, reconhece Pérez Graça. “Mas também é verdade que as atitudes positivas e, acima de tudo, estar disposto a estender a mão, é o que mais se valoriza em tais circunstâncias”. Se você está estressado, desconectado antes de ser exaltado. Discúlpate e vá dar um passeio, ou pospón essa nomeação para falar com um superior. Seu objetivo é ser ativo e positivo e fazer contribuições úteis.

Promova com critério

Fardar é ruim e pode incomodar qualquer um. Mas sejamos honestos: os seus superiores têm que saber o quanto você suado para fechar o negócio. Trata-se agora de que o seu chefe premie sua atitude.

O que fazer

Enviar este produto, mas eu sei modesto. Se um cliente escreve exaltando o seu trabalho, passe essa mensagem para o seu chefe, mas atribui o sucesso a todo o departamento. “Os bons profissionais não têm que fazer propaganda de suas realizações”, declara Maria Pérez Graça. “A equipe já sabe de sobra quem faz o quê”.

Reconhece o seu valor, mas também o de seus colegas. “Eles falarão de suas realizações e destacam seus méritos”. Assim, seu chefe será capaz de julgar por si mesmo e ficará impressionado com a sua mentalidade de time. Na reunião anual, que quantifica as suas conquistas na quantidade de dinheiro que você conservou, as receitas que você produziu e os clientes que você conservado. Quando a economia vai mal, os chefes só pensam em números.

E fala no plural. “Fazê-lo no singular, pode desviar-se do seu trabalho e deixá-lo como uma pessoa vaidosa e egocêntrica. É melhor falar sempre de obtenção de resultados a nível grupal”, diz Pérez Graça.

Diversifica seu trabalho

Quanto mais teclas toques, mais papéis, você pode jogar. “É mais fácil do que se realize o sonho não antes de alguém que só sabe fazer uma coisa que de alguém que seja possível reconverter”, diz Pérez Graça. “Melhor ainda: que já está pronto ou preparado para outra função dentro da organização”. Se existir um wikiprojeto mais adequado espectro de tarefas que realiza, aumentará também o reconhecimento por parte de seus chefes.

O que fazer

Junte-se a computadores com projetos que envolvem vários departamentos. O contato com as pessoas além do seu círculo habitual de trabalho se tornará mais visível. Tenta ampliar o conhecimento sobre as molas que movem sua empresa. “As pessoas que conhecem o funcionamento das empresas são um recurso imprescindível. Nesse sentido, um é mais valioso quanto mais conhecimento tem nada”, diz Perez.

Dicas para correr um triatlo e superar sua marca | Esporte

Por mais que você treina e muita fibra de carbono que você compra, há um adversário que nunca poderá vencer: as leis da física. Mas você pode manipulá-las a seu favor. O engenheiro aeroespacial Jim Gourley competiu em vários Ironman, com o lançamento de satélites ao espaço e até mesmo conseguiu-se que os adolescentes entendam a matemática.

As teorias que explica o ajudarão a tomar decisões com fundamento na hora de treinar, competir e até mesmo comprar material. Porque, se a inteligência se torna melhor triatleta, você vai se tornar o Albert Einstein deste exigente esporte.

01. Natação

Segue a estela: seu tempo melhora o cara que você tem na frente. Fique perto dele, e um metro para o lado, de modo que a sua mão, entre na água, em linha com o ombro. Reduzirá o atrito em 20%, a poupança de energia muito valiosa, com o que vai chegar antes, e mais fresco.

Baixa o ritmo do crol: não te entusiasmes e contén as tuas forças. A competição de natação não dura o suficiente para que adquira uma grande vantagem, mas sim como para agotarte face ao resto da carreira.

8mm: separação ideal entre as pontas dos dedos. Aumenta o coeficiente de atrito da mão em 9%, com o que também irá transferir mais energia ao movimento de impulso.

A equação: 90% braços + 10% pernas = propulsão. Os músculos das pernas só fornecem uma décima parte do impulso. Quando se desalinean com o resto do corpo, o atrito aumenta. Chuta o necessário para manter o corpo reto.

02. Bicicleta

A potência é dinheiro: não existem as bicicletas rápidas: apenas há ciclistas rápidos. Se você tem isso claro, um medidor de potência é o suplemento mais valioso que se pode comprar; ajuda a manter o ritmo, a manter um esforço constante e a evitar que se foram assimilados.

Você tem a partir de medidores profissionais que se instalam os pedais e são muito precisos (ainda identificam-se os desequilíbrios entre as pernas), pode até fazê-lo como um iniciante calculando o seu desempenho utilizando dados do GPS do seu smartphone (mas só depois da corrida).

Veja o dorsal, é a chave: o dorsal que se identifica com um número pode contrariar as vantagens aerodinâmicas do melhor atleta, se você o deixa passar o vento. Certifique-se de fixá-lo bem.

03. Carreira

Passos mais curtos, melhores resultados: aumentar o comprimento da passada não cobre mais terreno. Ao abrir as pernas, gaste mais energia cada vez que aceleras e deceleras. As passadas curtas poupar energia sempre que não potes demais.

Conforto: é o fator crucial na hora de escolher sapatos: 99% são feitas do mesmo material, e até mesmo uma diferença de 50g de peso pode ter um impacto mínimo. Altere-as a cada 400km mais ou menos.

180 é o número: o número de passos que você deve dar por minuto para reduzir o contato com o solo e gastar menos energia.

Pisa com cuidado: não há vento ou superfície de alto desempenho que se facilite tanto as passadas como a fita do ginásio, mas isso fará com que a corrida logo te pareça mais dura. Aumenta a inclinação alguns graus para compensar. (Correlação Superfície-Energia: Calçada — / Areia + 63% / Grama +4.8% / Fita -11%.)

04. Competição

Esqueça-se do branco: Essa cor reflete os raios do sol. Mas também afeta a sua energia, ao refletir os raios infravermelhos que cortês amizade que ficou e devolvértelos. Vestir-se de preto é legal e é mais fresco.

Guia rápido para decidir o seu ritmo:
Natação
Sprint: trabalha a um 80-85% do seu esforço máximo, aproveitando a estela do tipo de frente.
Carreira: 80-85% máximo, o cone de ar do que lhe antecede.

Bicicleta
Sprint: tira tudo o que você tiver. Ao fim e ao cabo, é um sprint!
Olímpico: cadência moderada, ligeiramente abaixo do limiar de lactato.

Running
Sprint: começa rígido; resiste; que se esforcem os outros.
Olímpico: o primeiro km em 5% abaixo do seu ritmo; acelera ao final.

A equação:152.1 + 1.332 x (tempo maratona) + 1.964 x (tempo olímpico) = tempo ironman. Use esta fórmula para calcular o seu tempo final e estabeleça o ritmo que levar durante os 226 quilômetros. Os tempos, em minutos, e que os números correspondem a cursos que você fez o mesmo ano em que pensas correr o Ironman. Lembre-se: a ciência está do seu lado.

Dicas para correr com frio | Esportes

Não valem desculpas! Os mesmos que dizem que faz calor no verão dizem que faz frio no inverno. Obviedades que é melhor não fazer caso, você pode sair a correr, naturalmente, também no inverno e frio.

Como diz um provérbio sueco: “Hoje em dia não existe mau tempo, mas sim de um material inadequado para fazer exercício físico em quase qualquer clima do planeta”.

O primeiro é, naturalmente, proteger-se do frio. Depois de calzarte umas caminhos da agremiação, vestir um gorro (a cabeça é um dos pontos onde o corpo perde mais calor), uma t-shirt e jaqueta adequadas e umas malhas técnicas e confortáveis, já pode se lançar a realizar os primeiros quilômetros.

Quando digo material técnico para correr no inverno me refiro a um tipo de equipamento totalmente respirável (que expulsa o suor e mantém você seco), que é de cor preta ou de cores escuras para atrair o calor do sol no inverno, que é conveniente e confortável e que tem cores diferentes para ser identificada facilmente por outros pedestres ou veículos.

Lembre-se também, embora te pareça menos quando faz calor, a hidratação é essencial quando você pratica esporte com frio, então não esqueça hidratarte bem.

Mas passar um pouco de frio pode torná-seu aliado se o que quer é reduzir a sua percentagem de gordura corporal. Por quê?

O hormônio irisina é um dos culpados por este fato. Esta hormona é responsável pela termorregulação e a conversão de gordura branca (má) na gordura marrom (boa), através da corrente sanguínea. Quando se faz exercício de produzir esse hormônio, mas se além disso você faz em um clima frio, a produzir em maior quantidade. E isso acontece porque o corpo lhe custa mais energia a manter o equilíbrio interno (homeostase) em um clima frio que em um clima quente. Se, além disso, obtém essa energia dos lipídios, muito melhor.

Atualmente existem evidências científicas que demonstram que simplesmente por passar frio ativar o metabolismo dos lipídios. Se você treinar em lugares frios humanamente acessíveis, você terá um maior gasto que se faz a temperaturas elevadas. Francesc Villaroya, do Centro de Pesquisa Biomédica em Rede de Fisiopatologia da Obesidade e Nutrição, indica a relação que existe entre a obesidade, uma pandemia nas sociedades do primeiro mundo, no século XXI, e conviver com temperaturas elevadas em casa.

Além disso, a Escola de Medicina de Harvard, aponta que as pessoas que fazem exercício físico têm níveis mais altos de irisina, em comparação com as sedentárias.

Então, já sabe: que o inverno não congelar seus vontade de sair para treinar ao ar livre! Se cundirá mais porque o teu corpo terá uma despesa extra. E, claro, você não deve ignorar os hábitos de vida saudáveis em sua globalidade: aqueça bem, evita correr se há gelo em seu caminho e escolha algumas horas para que o ambiente não seja tão gelado.

Pegue a microonda | Nutrição

Vil metal
A primeira regra de ouro
>Utilizar apenas recipientes adequados (a não ser que queira conseguir uns efeitos de luz e som, que consigam que os irmãos andy e larry wachowski entrar na sua cozinha simplesmente para dizer ?oba!!?). Para que os alimentos aquecidos corretamente você deve colocá-los em recipientes fabricados em um material que os micro-ondas possam atravessar, como o vidro, o vidro, a pirocerámica ou fogão. Da próxima vez que você comprá-lo, olhe no rótulo: ela especifica se são ou não são adequados para o micro-ondas. E não pense introduzir em seu forno nenhum objeto metálico ou que contenha metal em sua composição. O metal age como uma espécie de barreira que impede a passagem das ondas. Ao chegar ao destinatário, saltam e são devolvidas às paredes do forno, o que, além de não aquecer o alimento, pode deixar o aparelho (elétrico) fez algumas raposas. O metal, no entanto, não é o único material vetado. A lista negra, você deve adicionar:

Potes decorados
>Com ouro, com prata ou com qualquer outro enfeite feito com pinturas que tenham algum componente metálico.

Plásticos leves e pouco resistentes
>O aquecimento podem deformar-se e libertar produtos tóxicos. É o caso dos recipientes que contêm margarina ou os que são concebidos para ser utilizados apenas uma vez. Esqueça de aquecer a comida chinesa na sua embalagem original.

Louças finas ou muito finas
>Embora as micro-ondas não lhes dizem respeito, o calor dos alimentos pode fazer com que as peças se quebrem.

Frascos de maionese ou geléias
>A não ser de vidro temperado, não suportam muito calor e podem quebrar em mil pedaços.

Objetos de madeira
>A desidratação produzida pelo calor pode queimá-los.
Se você tiver dúvidas sobre se um recipiente é adequado para o microondas ou não, digite-o no forno, com um copo de água dentro e caliéntalo à máxima potência durante um minuto. Se a água está quente, mas o recipiente não, você pode usá-lo. Se ambos são moderados, use-o apenas para cozimentos curtas. Por último, se a água é quente e o recipiente muito quente, você não deve usá-lo. É a prova palpável de que absorve todas as ondas e não permite que chegam aos alimentos.

No seu ponto
Siga estas dicas e conseguirá que os alimentos aquecidos e cuezan uniformemente e sem problemas:
Posição
>No centro da fonte, a cozedura é menos intensa do que nas bordas. Fixe os alimentos sobre o prato em forma circular, com as peças que precisam de mais tempo para ser feita na área externa. Por exemplo, o brócolis, com os caules (que são mais grossos) para fora; os camarões, com as filas colocadas para o centro … da mesma forma, se você está a aquecer em um mesmo prato vários alimentos, coloque no centro os mais porosos (que se cozinham mais rápido, como o pão) e, na parte exterior os mais densos (que demoram mais tempo a aquecer, como a carne).
Tamanho
>Mais volume, mais tempo. Para ganhar rapidez, divide os alimentos grandes em duas partes iguais. Não se anime: não é conveniente partirlos em muitas peças, pois o tempo de cozimento é maior quando a energia tem que se dividir entre várias porções.
Tempo
>Na hora de programar os minutos, tenha em conta que nem todos os alimentos que exigem o mesmo tempo. Os leves e porosos como o pão ou a certos produtos de pastelaria, por exemplo, se aquecem mais rapidamente que outros com o mesmo peso, mas mais densos (a carne moída ou o purê de batatas cozem muito antes que uma costeleta ou umas batatas inteiras). Entre os alimentos mais ?velozes?, encontram-se os que possuem grande quantidade de gordura ou de açúcar e desidratados ou com pouco conteúdo em água.

Pura coincidência
Como ocorre com outros grandes descobertas, o do micro-ondas também foi fruto do acaso. Corria o ano de 1945, quando, durante uma investigação relacionada com o radar, o físico norte-americano Percy Spencer notou que uma barra de chocolate que tinha perto do emissor de ondas curtas em que trabalhava derreteu. Depois de dar mil voltas ao assunto, o cientista concluiu que, talvez, o chocolate havia sido afetado por acaso o magnétron e colocou algumas sementes de milho junto a ele para confirmar. Rapidamente, transformaram-se em pipoca. Na manhã seguinte, tentou a sorte com um ovo. Ele começou a vibrar e acabou explodindo em mil pedaços de omelete devido ao aumento da pressão interna causada pelo rápido aumento de temperatura. Se se podia cozinhar tão rapidamente um ovo, por que não tentar com outros alimentos? Os experimentos sucederam-se rapidamente e o primeiro micro-ondas doméstico apareceu no mercado norte-americano, em 1967.

A sua saúde
Quando apareceram, os fornos de micro-ondas, despertaram muitas suspeitas. Frente a quem blandían estudos assegurando que eram absolutamente inofensivos, estavam os que não demorava-atacar com pesquisas que demonstravam seus nefastos efeitos sobre a saúde.
A polêmica alcançou tal nível que, para dissipar qualquer dúvida, a Organização Mundial da Saúde (OMS), teve que assegurar, em 1992, que, sempre que se seguissem as instruções do fabricante, não existia nenhuma prova científica de que o uso de fornos de micro-ondas implicase nenhum risco para os consumidores.
Na realidade, cozinhar com este aparelho traz grandes benefícios para a saúde. Para começar, como os alimentos são cozidos em sua própria água (e a menos de 100 º C de temperatura) perdem menos sais e vitaminas, é usado com menos gordura, e apresentam um sabor mais natural. A isto há que acrescentar que recorrer ao micro-ondas para descongelar alimentos é muito mais seguro. Limitar-se a deixar o alimento à temperatura ambiente durante várias horas se favorece a proliferação de bactérias.